quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sofia e seu primeiro contato com o bullying

Segunda Sofia não foi à aula. Teça ela foi e qndo a peguei na escola ela disse "mãe, tenho q te mostrar isso aqui, mas mostro depois". Chegamos em casa, ela brincou e etc. Quando o amiguinho foi embora, ela me mostrou o que queria: dois bilhetes, um escrito "Eu te odeio Sofia" e o outro "você não vai miatender".
O segundo não faz sentido, mas o primeiro é pesado... Fiquei pensando naquilo e disse q ia conversar com a tia coordenadora no dia seguinte.
Então fiquei pensando mais ainda e fiquei encucada, querendo saber se algo além disso tinha acontecido. Ontem de manhã eu perguntei. Acabei comentando no facebook sobre o acontecimento, mas só falei dos bilhetes. Teve mais.

Imagem (e um texto bacana sobre a banalização do bullying) daqui

Sofia me contou que foi no final da aula, qndo as crianças ficam na quadras, esperando os pais/responsáveis/escolares buscar. Ficam em fila, por sala, bem organizadinhos e fazem seus lanches (qndo sobra algo) , brincam sentados e as coleguinhas vieram e entregaram. Ela disse q os bilhetes foram escritos em sala, mas entregaram na saída e ainda a chamaram de burra e feia e... acreditem: GORDA! Uma pequena magrela daquele jeito ser chamada de gorda! Enfim... o 'gorda' não me incomodou e expliquei pra ela q nesse caso nem se preocupasse, pq ela NÃO É GORDA, não tem como ser. Se fosse, eu iria brigar por isso tbm.
Minha tia, q é psicóloga, disse q talvez a menina q disse isso seja gordinha (até esqueci de perguntar isso pra Sofia) e acabou por 'transferir esse peso' pra ela. Mas fiquei extremamente irritada com o burra e feia! Não dou esse direito pra ngm, pq eu SEI q minha filha é linda e inteligente (pode ser um cadim preguiçosa, mas sempre falo a parte da inteligência! rs)
Tirei um xerox dos bilhetes que ela recebeu e escrevi "bilhetes recebidos por Sofia no dia 10/04/2012, acompanhados de agressão verbal pelas alunas fulana, fulana e fulana" e fui levá-la pra aula. Marquei com a coordenadora que voltaria às 14hs pra conversar e, na saída, encontrei a mãe de uma das coleguinhas envolvidas e conversamos.
Como eu imaginava, a mãe não sabia e nem tinha ideia da menina gostar ou não da Sofia, pq ela nunca falou nada desse tipo. E a menina é um doce (digo isso por mim, a conheço e nem acreditei qndo Sofia falou!), mto educada e carinhosa! Conversamos, ela me incentivou a conversar com a coordenadora e disse q conversaria com a filha no final da aula tbm. Conversamos que, no caso dessa menina, pode (e, pelo q Sofia disse, foi) ser influência das outras coleguinhas, então devemos estar atentas a isso.
Bom... voltei e conversei com a coordenadora, que disse q tomaria uma atitude naquele momento mesmo. Eu falei que acho q as meninas devem ter a chance de dizer pq fizeram e, se Sofia tem alguma parcela de 'culpa', eu deveria saber (não foi o caso). E ela foi pra sala junto com a Sofia. Eu voltei pra casa.
Quando busquei a Sofia, perguntei e ela disse q pediu à professora pra conversar e dizer q não quer próxima vez pq aí ela - a coordenadora - é q vai conversar com os envolvidos. As meninas conversaram, pediram desculpas pra Sofia e, na saída, olha lá Sofia chamando uma das meninas (a que conheço) e mandando um tchau, no que a outra responde com um lindo sorriso de covinhas e outro aceno.

Aparentemente está resolvido. Espero mesmo que não aconteça novamente com nenhum outro colega.
Sofia não ficou extremamente chateada, mas não concordo com esse tipo de atitude vinda de qquer pessoa. Acho assim, se eu não tomasse atitude dessa vez e acontecesse numa próxima, teria q tomar, mas qndo é com minha filha, resolvo logo! E se vc não apoia, não resolve, se continuar acontecendo a criança para de contar e começa a sofrer aquilo caladinha, pq não tem ngm que apoie... acho q é assim q a criança SOFRE o 'bule'... Acho, na verdade, que é aí que nasce o bullying, na omissão de quem deveria estar apoiando a criança. Claro, acontece msm qndo o responsável apoia a criança qndo, desde o início, ela não conta pros pais e eles não tem como saber. Mas a omissão é pior, pq, na minha opinião, gera a permissão para que o bullying cresça.
Eu NUNCA fui assim! Sou justa e se Sofia está certa, a protejo, independente de quem seja o outro. Mas se ela está errada, por mais que faça um bico enorme, eu chamo atenção. Mudei muitas coisas na minha atitude e acho q hoje estou ainda mais justa.

Enfim... o que me chateia é crianças com 7,8 anos já tendo esse tipo de atitude com os coleguinhas... e, como muitas disseram no FB, menino pega e bate. Pronto. Meninas ferem com palavras... meninas são cruéis... Nós, pais, devemos ficar antenados com as atitudes das nossas crianças pra não termos esse tipo de preocupação, né? O triste é que tem pais que nem ligam e ainda incentivam... onde vão parar essas crianças? O que eu sei é que faço careta pra quem incentiva o 'bule'!
Pq EU não incentivo, não!!!

6 comentários:

Macá disse...

Telma
Que coisa chata não?
Tem mais é que ficar atenta sim; e ainda bem que tudo se resolveu da melhor maneira.
um beijo

Cissa Branco disse...

Telma,

Triste isso, meu filho tem sofrido dessas brincadeiras em relação a questões econômicas e já disse que irei conversar com a coordenadora, ao mesmo tempo disse para ele que nossos objetivos de vida são diferente dos demais, que enquanto grande parte se preocupa com carros, roupas e ostentações, para nós outros valores são importantes, que enquanto o coleguinha fica dizendo que o pai tem isso e aqui, enquanto o nós não temos, ele, o Felipe tem os livros e os materiais de primeira qualidade, coisas que os mais abastados muitas vezes não tem, que para nós a formação, a cultura e a valorização humana é mais importante, mas vou te contar, não é fácil. Vou ter que tomar a mesma medida que vc e ir conversar com a escola. A Sofia é linda, e a vivência que vc proporciona a ela faz toda a diferença e vai defini-la enquanto adulta.
Grandes beijos

Cláudia disse...

Ah, Telma. Sei bem o que é isso.

A história do meu filho também é grande, mas vou contar um pedacim.

Em 2010 aconteceu com meu filho, ele tinha dez anos, e os outros 10/11 anos. Dois dos meninos frequentavam a minha casa, uma das mães me ajudou muito, entrou na briga até contra o filho, e uma outra me disse que não podia fazer nada se o filho dela achava graça em importunar meu filho. Tá bom ou quer mais?

São os filhos dessas mães que botam fogo em mendigo e índio.

Tu está certíssima, tem que cortar o mal pela raiz.

Parabéns e beijossssss.

Mandy Bergamaschi disse...

Isso é muito sério...
Sofri demais quando estava na quinta série e um grupo de meninas espalharam para a escola inteira que eu era "bigoduda" e nunca encontraria um namorado, ate hoje tenho reflexos dessa época... Mas arrumei um namorado, e muitas delas não!
E no ano passado uma amiguinha do meu irmão, de 9 anos mandou vários recados ofensivos, onde o chamava de gordo e cantava musiquinhas feias pra ele...
Minha mãe fez exatamente como você, e tudo se resolveu.
Beijos flor

Falou Tchau disse...

Menina tô aqui só me imaginando nesta situação... deve ser muuuuito difícil! Acho que os pais devem interferir sim pra coisa não ficar maior... e fazer como foi dito nas convesar no FB, conversar muito com ela pra ela tentar ser superior à isto tudo... pq se der valor a coisa pode tomar uma proporção que não precisaria!
Parabens pela ótima mãe que vc é!!!
Bjs e saudades

Falou Tchau

Renata disse...

Oi Telma!

Acho que você agiu corretamente. Acho que é coisa de criança esse negócio de xingar de feia e burra, mas é sempre bom ficar de olho!
Tadinha da Sofia, super gracinha. Espero que ela nem lembre mais disso!

Beijos, Renata
palpitandoemtudo