quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Notícias

Olá, amigas (os) queridas (os). Eu preciso atualizar o blog e dizer pra vcs q estamos bem por aqui. Mas essa semana, todo mundo sabe: correria! Estou terminando uns trabalhos por aqui e por isso bem atarefada.
Bom... como disse, estamos bem. A saudade vai ficar pra sempre, mas vovô agora está bem. Ele sofreu um tanto e por um tempão. Hoje está se recuperando, nas mãos de bons amigos espirituais. É o que emanamos em nossas orações por ele. O mais triste é ser a semana de Natal... mas nem por isso vamos deixar que ele (e os outros familiares que já se foram) estejam ausentes da nossa confraternização. Eles SEMPRE estão conosco.

Agradeço muito por todas as palavras de carinho. Estamos bem. E amanhã volto com o post das pequenas felicidades da semana, pq apesar do coração saudoso, tive, sim, bons momentos.

Deixo aqui uma mensagem pra vcs. Não é de Natal, sorry... Deixa a de Natal pra amanhã, pode ser? rs



"Quando observamos, da praia, um veleiro a afastar-se da costa, navegando mar adentro, impelido pela brisa matinal, estamos diante de um espetáculo de beleza rara.
O barco, impulsionado pela força dos ventos, vai ganhando o mar azul e nos parece cada vez menor.
Não demora muito e só podemos contemplar um pequeno ponto branco na linha remota e indecisa, onde o mar e o céu se encontram.
Quem observa o veleiro sumir na linha do horizonte, certamente exclamará: "já se foi." Terá sumido? Evaporado? Não, certamente. Apenas o perdemos de vista. O barco continua do mesmo tamanho e com a mesma capacidade que tinha quando estava próximo de nós. Continua tão capaz quanto antes de levar ao porto de destino as cargas recebidas. O veleiro não evaporou, apenas não o podemos mais ver.
Mas ele continua o mesmo. E talvez, no exato instante em que alguém diz "já se foi", haverá outras vozes, mais além, a afirmar "lá vem o veleiro!!!"
Assim é a morte.
Quando o veleiro parte, levando a preciosa carga de um amor que nos foi caro, e o vemos sumir na linha que separa o visível do invisível dizemos "já se foi".
Terá sumido? Evaporado? Não, certamente. Apenas o perdemos de vista.
O ser que amamos continua o mesmo, suas conquistas persistem dentro do mistério divino.
Nada se perde, a não ser o corpo físico de que não mais necessita. E é assim que, no mesmo instante em que dizemos "já se foi", no além outro alguém dirá "já está chegando". Chegou ao destino levando consigo as aquisições feitas durante a vida.
Na vida, cada um leva sua carga de vícios e virtudes, de afetos e desafetos, até que se resolva por desfazer-se do que julgar necessário.
A vida é feita de partidas e chegadas. De idas e vindas.  Assim, o que para uns parece ser a partida, para outros é a chegada.
Assim, um dia, todos nós partimos como seres imortais que somos todos nós, ao encontro daquele que nos criou."
Henry Sobel

Beijos no coração de cada um! Amanhã estou de volta!

5 comentários:

Clau Finotti disse...

Oi Telma!

Confesso que não li a mensagem para seu avô, li só o começo do post, não estou querendo me emocionar, tentando me controlar...

É um privilégio conhecer a realidade após a morte e não se desesperar. Sou muito grata por isso.

Os bons espíritos estão cuidando do seu avô sim, logo logo ele estará bem, sem dores, sem a fadiga da doença, novinho em folha! rs

O mesmo vai acontecer com meu pai, tenho fé.

Beijão, muita paz e Feliz Natal!

Clau

Veronica Kraemer disse...

Telminha querida, que lindaaaaaaaa mensagem, emocionei aqui!!!
Com certeza seu avô está bem!!!
Oxi que fiquei sem palavras... rs
te adorooooooooooooooooo
Beijosssssssssss
Vero

Lola disse...

Telma, nem sei o que dizer. Vc bem sabe o que tenho também passado, assim como vc, com a saúde do meu avô.
Hoje fui vê-lo logo de manhã e ainda fui levar a dentadura com a Dentista que ficara pronta. Foi muito triste! Ele não abriu os olhos e acho que nem sabia quem eu era...acho que meu avô já se foi. Ali está alguém que não conheço, mas que ainda amo e prezo. Triste demais esse final.
Fiquem com Deus!
Bjs

Lia Gloria disse...

Olá Telma. Retornei para desejar feliz natal e encontro esse post lindo, em homenagem ao seu avô...
emocionante. Meus sentimentos Telma.
Lembro de uma frase de uma música do Milton Nascimento, acho que é Sentinela, que fala ' longe longe, ouço essa voz, que o tempo não levará...' então ele estará sim presente no natal e em todos os momentos, ganhaste mais um 'anjo'.
bjs