segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Desabafo

texto recebido da minha amiga Rossele, por email.
(imagem daqui)


"Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse:
- Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
- Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso meio ambiente.
- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia  escadas rolantes nas lojas e escritórios. Caminhamos até o comércio ao invés de usar nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo. Nós não  nos preocupávamos com o meio ambiente, naqueles dias. Até então as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente naqueles dias. Naquela época só tínhamos uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio, que depois será descartado como?
Na cozinha tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia, naquela época, preocupação com o meio ambiente. Bebíamos direto da fonte quando estávamos com sede, ao invés de usar copos plásticos e garrafas PET, que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou o ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou à pé para a escola, ao invés de usar a mãe como serviço de táxi 24hs. Tínhamos só uma tomada em cada quarto e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?"

E então paramos pra pensar... POR QUE A SENHORA DIZ QUE NÃO HAVIA PREOCUPAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE NAQUELA ÉPOCA?
Não precisava. O ar era muito mais respirável. O meio ambiente não era atacada como é hoje. Essa tal evolução, essa que nós acompanhamos por tanto tempo sem nos preocuparmos tbm...
E os nossos avós não souberam nos ensinar a nos preocuparmos com a preservação ambiental, pq na época deles não havia essa necessidade. Não existiam tantos agentes poluentes e degradantes como hoje. Naquela época eles já iam às comprar com seus próprios carrinhos ou sacolas...
Enfim... tem alguém disposto a viver como naquela época? ESSA eu acho que é a pergunta principal...

-----------------------------

Agora, falando de um assunto diferente mas não menos importante (pelo menos pra mim), a minha querida amiga Carine Gimenez fez um post com uns esclarecimentos sobre o chá virtual do João Miguel!
Vejam lá e participem do chá! Façam uma mamãe e um bebê mto felizes!
O selinho para participar do chá está na lateral do blog e o post da Carine com os esclarecimentos é esse daqui: Sobre o Chá Virtual.

9 comentários:

Lola disse...

Oi Telma!
O problema da atual geração, e daí me incluo (hahahaha) é que queremos sempre ter, ter e ter. Esquecemos de pensar o ser. Se a gente percebesse a alegria contida nas pequenas e simples coisas da vida, não precisaríamos nos preocupar com o futuro do planeta.

Bjs

Zizi disse...

Muito difícil não poluir. Sou um pouco da geração daquela senhorinha. tudo muito parecido.Hoje o mundo perdeu o controle. Por ex: enquanto alguns economizam água, outros desperdiçam. e por aí vai. Eu faço a minha parte, mas confesso que tem horas que fica impossível não poluir. É bem complicado!
bjos

Josiana Leite disse...

Muito bom telma você falando foi passando um filme da minha infância onde não exista pet garrafas de plásticos e as nossas compras na quitanda ersa embrulhada com papel, parabéns pelo post, grande abraço.

Patricia disse...

Telma querida,você tem sido tão carinhosa e atenciosa nas suas mensagens,que não sei nem como agradecer.
Só posso dizer muito obrigada e me sentir abençôada por ter tido a oportunidade de conhecer pessoas como você.
bjs
Patricia Petro

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

esse texto é perfeito! a gente é "eco", todo mundo é. mas é nosso mundo de hj que mais detona tudo, pq agora a moda é apenas ter...e ser, para que?

excelente, Telma!
bom dia

Neli Rodrigues disse...

Telma, como as coisas mudaram nos últimos anos. Apesar de eu ser mais velha que vc, acho que se lembra de coisas que não tínhamos na nossa infância ou juventude e de repente tudo está ao nosso alcance. O problema é isso mesmo, ninguém quer abrir mão das comodidades dos dias de hoje.
Bjs♥

Renata disse...

Oi Telma!
Eu já havia visto esse texto e achei muito bom! Não sou nenhuma anciã, mas peguei um pouco dessa época onde o leite era de garrafinha, onde nós devolvíamos os vasilhames de refrigerantes, que aliás, só tomávamos em dia de festa. Meu apartamento também só tinha uma tomada nos quartos...depois da reforma eu coloquei várias...
Quanta coisa e a gente nem percebe...

Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Cissa Branco disse...

Telma,

No caminho que estamos a solução vai ser encontrar alternativas para preservar o que resta e manter o conforto adquirido, ninguém mais abre mão de tudo o que está posto, é uma conversa incoerente, eu sei, mas é a realidade.
Grandes beijos

Jac Mon disse...

Oi Telma,
sou do Clube da Carta, vim te conhecer. Adorei o texto do post, realmente precisar repensar nossas escolhas urgentemente, ficar só na retórica é fácil.
Eu fiz uma lista com as meninas do Clube lá no meu blog e vc já está lá tbm.
Beijão
Jac
www.flormosuras.com